Army of the Dead: Invasão em Las Vegas - Filme prometeu demais e entregou de menos

O que está acontecendo aqui!? Mais um filme genérico da Netflix que será esquecido até o próximo fim de semana
Publicado por Allan Kardec, em .

Mais uma vez vemos um problema recorrente nos filmes atuais, muito marketing para pouco filme! Army of the Dead: Invasão em Las Vegas sofre do que outros filme já sofreram: o que foi vendido através dos trailers é realmente a melhor parte do filme.

Vem comigo entender porque este será mais um filme esquecido no limbo do catálogo da Netflix.

AVISO DE SPOILERS
Não leia se não quiser saber partes da história

ZlBNNnNla3dQWGM=

Tudo que o filme tem de bom está nesse trailer...

Quando foi anunciado Army of the Dead: Invasão em Las Vegas foi vendido como "a volta de Zack Snyder ao gênero que lhe deu fama", o diretor consagrado graças ao excelente Madrugada dos Mortos de 2004, finalmente estaria fazendo algo fora do universo DC que tanto lhe deu problemas, e após anos trabalhando no controverso Liga da Justiça, este novo filme poderia ser a chance dos fãs o verem em ação novamente sem o peso do universo dos heróis e podendo soltar sua criatividade com um roteiro original e que lhe daria a liberdade que a Warner o negou.

E está lá, Army of the Dead: Invasão em Las Vegas é um filme com o selo Snyder e vários pontos provam isso, mas infelizmente o filme sofre de muitos problemas que deixam o conjunto da obra algo maçante e entediante.

Uma história esquecível

O roteiro do filme se vende inicialmente com uma história interessante, mas que ao passar das longas 2 horas e meia, mostram que os desfechos são rasos e apressados, além que este é um filme que tenta se levar a sério a todo momento, mas ao mesmo tempo tenta ser um típico filme de ação frenética com balas voando e coisas explodindo, algo que não combinam muito quando não se há tempo nem motivo para se criar empatia com ninguém em tela.

Vemos Dave Bautista dar seu melhor para interpretar o típico brucutu parrudo com problemas pessoais e que acaba se envolvendo em uma missão que pode ser a solução. Sua interpretação é convincente e vemos que ele está preparado para outros filmes fora do papel do Drax, da Marvel, mas infelizmente o roteiro não auxilia a termos alguma empatia pelo personagem de Dave. Também incomoda o fato que todos demais personagens são genéricos, uma filha com problemas com o pais que ninguém sabe quais são, um milionário que quer algo que não é o que diz que é, um nerd estranho estereotipado, um típico soldado que só quer explodir coisas, um maluco com frases religiosas feitas para dar algum tipo de profundidade em algumas cenas mas que acaba só sendo chato mesmo, e fora claro, o cara que entrou do nada no grupo se parecendo bonzinho... até de mais... e que esta na cara que irá trair todo mundo e se lascar uma hora, todos tão rasos como a história.

A história realmente tem seus pontos interessantes mas que não são bem explorados, os zumbis alfa mais inteligente e ágeis faz com que os primeiros momentos do filme ganha-se uma atenção, onde nos deixa querendo ver o que pode ocorrer ao desenrolar, mas se perdem na história, assim como qualquer outra coisa que possa lhe interessar do roteiro.

Ação premeditada e desenrolar cansativo

Não posso negar que o filme tem suas qualidades, e os efeitos especiais são o ponto alto, mas em um filme de ação esperamos ver ação, ai tudo desanda. Talvez a decisão do Snyder de não usar cadeiras no set tenha atrapalhado um pouco, mas o que vemos é que em todas cenas de ação a coreografia é lenta, os atores ou coadjuvantes "esperam" os golpes e vemos que tudo é uma dança ensaiada lenta e repetitiva, demonstrando uma certa premeditação no que irá ocorrer e passando uma sensação de cansaço nos atores. Mesmo assim as cenas conseguem ser interessantes e bem elaboradas, ainda mais alinhadas aos cenários e efeitos que realmente são legais de se ver.

Vemos os atores correndo e andando por sets inteiros... vazios... enquanto a história se desenrola parte a parte, intercalando diálogos que tentam ser sérios e marcantes (que na verdade não tem relevância nenhuma por causa da história rasa), com cenas de ação frenética e explosões de miolos de zumbi, causando um certo desequilíbrio no que está ocorrente e te faz perder o interesse, já que daqui a pouco aquela sequencia irá ocorrer novamente!

História maltratada pelos excessos

Como disse, a história do filme tem seus pontos interessantes, neste filme vemos um comboio de soldados que levam o que parece ser uma arma biológica, mas que após um acidente escapa e começa a zumbificar todos a sua frente, e ela acaba se alojando em Las Vegas que teve de ser isolada totalmente do mundo com uma barricada, mas que para solucionar de vez o problema, a única opção do governo é explodir toda cidade com uma arma atômica. Só que antes que isso ocorra um grupo de mercenários deve invadir um casino e pegar todo dinheiro que foi abandonado lá antes da evacuação da cidade.

Até ai, tudo bem! Uma excelente história que podemos ver mentalmente todo seu desenrolar. O problema começa quando se adicionar as histórias paralelas, um pai com problema com a filha, que a quer proteger mas acaba a levando junto ao pior lugar do mundo para se estar, essa mesma filha com uma motivação no mínimo controversa de entrar no pior lugar do mundo com nenhum tipo de preparo para salvar pessoas que mal conhece. Soldados que não querem estar ali, mas vão pelo desafio e pela grana claro... O traidor que não consegue entrar lá sozinho, mas vai abandona todos para voltar sozinho após entrar... o milionário que não quer a grana que pediu para pegarem, e sim o sangue do zumbi alfa, para vender para o governo... governo esse que estava com o alfa original e certamente deve ter litros de sangue dele armazenado. E falando do alfa, uma espécie de zumbi inteligente altamente resistente, capaz de organizar estratégias e usa uma armadura e que fez uma espécie de seita em volta de um filho zumbi que iria ter com outra alfa... detalhe para o momento de adoração ao filho morto... cortesia do Snyder... fora todos mini plots que cada personagem do elenco possui.

Vemos que para se contar todos estes fatos e termos o mínimo de informações para nos importar com o enredo e personagens, precisariam de outras tantas horas, o que não ocorrer, mesmo com todo tempo do filme que já é longo e maçante suficiente.

A escolha de zumbis como inimigos do filme de inicio fazia algum sentido, mas sinto que se fossem simplesmente nomeados de "mutantes" se encaixaria melhor na trama, talvez não por serem mais fortes ou inteligentes que os zumbis padrões de outros filmes, já que vimos em Guerra Mundial Z que zumbis super ágeis e fortes podem ser extremamente interessantes, mas os inimigos deste filme são algo mais próximos aos inimigos de Eu sou a Lenda, que formam uma sociedade e tem suas peculiaridades.

Excesso de Marketing

E talvez o maior problema e que atrapalha vários filmes atuais, o excesso de marketing, que neste filme realmente atrapalhou já que após ter assistido tenho a impressão que tudo de bom foi mostrado nos trailers, e todo restante cortado foi feito somente para preencher o tempo definido para o filme. Não tenho certeza de quantos trailers foram lançados, mas assim como Godzilla x Kong vemos que as melhores cenas estavam ali, naqueles poucos minutos cortados os trailers.

Todo restante do filme se salva pelo orçamento bem usado nos efeitos especiais que nos mostram uma gigante cidade abandonada com hordas de inimigos para serem destroçados por balas, o que é a parte realmente legal, principalmente a partir da metade final do filme, já que o roteiro não irá ajudar mais daqui para frente, nem o final que sofre do mais novo clichê do cinema, que é matar todo mundo importante e ainda dar uma brecha para uma possível continuação que ninguém sabe se realmente ocorrerá.

Conclusão

Se você irá dar uma chance para Army of the Dead: Invasão em Las Vegas indico fortemente que desligue seu cérebro e não espere muitas respostas, o filme espanca sem dó qualquer esperança de se ver uma história interessante, mas entrega cenas de ação relativamente boas em um cenário apocalíptico bonito e bem elaborado.

Army of the Dead: Invasão em Las Vegas poderia ser um filme muito melhor se concentra-se no que prometeu ser, um filme de ação com objetivo claro de gente matando zumbi, e tivesse menos tempo de duração para não ser tão maçante.

4.0
sentiment_very_dissatisfied
Nota
Um filme que peca pelos excessos e acaba sendo maçante
Prós
  1. Atuação do Dave Bautista
  2. Cenas de ação em elaboradas
  3. Efeitos especiais de ponta
  4. Fotografia e cenários
Contras
  1. História rasa e maçante
  2. Personagens desinteressantes que não incluem nada ao filme
  3. Elenco mal aproveitado
  4. Roteiro raso e previsível
  5. Coreografia com movimentos visivelmente premeditados
Allan Kardec
Allan Kardec #okardec

Analista e Administrador de Sistema vulgo Programador

Amante de artes, com gostos peculiares e até duvidosos!

Todo dia [ou quase] criando uma análise ou indicando um indie interessante ou desconhecido.

Vem me ver testar algum joguim aleatório https://www.twitch.tv/okardec

Administrador, Earth, Solar system - Milky Way
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no Facebook, Twitter, Instagram e na nossa curadorida da Steam.
Postagens em Destaque
#Games, Por MarK,
#Animes, Por Allan Kardec,