Bloodstained: Ritual of the Night terá sequencia

Mesmo com o anuncio, primeiro game da série ainda terá várias surpresas e novidades
Publicado por Allan Kardec, em .

Há alguns dias começou a surgir o rumor de uma possível sequencia de Bloodstained: Ritual of the Night, e felizmente a confirmação oficial fo ifeita pela 505 Games, que juntamente com a ArtPlay Games irão lançar a continuação oficial de um dos indies de metroidvania mais famosos dos últimos tempos.

O novo game de Koji Igarashi ainda está nos estágios iniciais de planejamento, e a equipe ainda está focada em novos conteúdos para o jogo original. E ainda foi esclarecido que ainda há muitas surpresas para o primeiro capítulo da série, embora atualmente não haja detalhes mais precisos sobre o que seria.

Bloodstained: Ritual of the Night nasceu como um projeto no Kicstarter, como um sucessor espiritual de Castlevania, sem coincidência, já que o produtor Koji Igarashi dirigiu alguns dos jogos mais populares da série Konami, e com o apoio da editora 505 Games, que financiou o desenvolvimento e publicação o jogo conseguiu ser publicado em todas as plataformas.

A recepção do público e da crítica foi positiva e as vendas também foram boas, a ponto de convencer a 505 Games a abrir um novo capítulo daquela que se tornou uma das franquias mais interessantes do cenário independente.

Allan Kardec
Allan Kardec #okardec

Analista e Administrador de Sistema vulgo Programador

Amante de artes, com gostos peculiares e até duvidosos!

Todo dia [ou quase] criando uma análise ou indicando um indie interessante ou desconhecido.

Vem me ver testar algum joguim aleatório https://www.twitch.tv/okardec

Administrador, Earth, Solar system - Milky Way
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no Facebook, Twitter, Instagram e na nossa curadorida da Steam.
Postagens em Destaque
#Curiosidades, Por Allan Kardec,
#Filmes, Por Allan Kardec,
#Animes, Por Allan Kardec,
#Animações, Por Allan Kardec,